Delfino Golfeto, o Embaixador da Cachaça no Brasil

Delfino Golfeto, o Embaixador da Cachaça no Brasil, realiza degustação bienal para escolher “As Melhores Cachaças do Brasil”, que figurarão no cardápio da Água Doce

Especialista no verdadeiro destilado brasileiro, Golfeto selecionou os rótulos que serão oferecidos no cardápio da Água Doce – Sabores do Brasil
Cachaças de alambique disponíveis na Água Doce
São Paulo, 13 de junho de 2016 – A cada dois anos, Delfino Golfeto, presidente da rede Água Doce – Sabores do Brasil e conhecido como “o Embaixador da Cachaça no Brasil”, envolve-se em um ritual desafiador: o empresário faz a degustação e a avaliação de todas as cachaças oferecidas pela rede de mais de 90 restaurantes Água Doce e outras possíveis de ser comercializadas.
Ao degustar cada exemplar da bebida, o empresário e especialista em cachaças consegue ter uma percepção clara de diversos detalhes quanto ao tipo de fabricação, de quais produtores continuam prezando pela qualidade e quais aqueles que possuem logística e produção para atender à demanda de consumo e o padrão de qualidade exigidos pela Água Doce.  Este mesmo ritual de degustação pode revelar, ainda, produtos ainda não conhecidos, mas que são de excelente qualidade e merecem entrar para o ranking de “As Melhores Cachaças do Brasil”, segundo a visão da Água Doce.
“Mudamos a filosofia de ter a maior carta de cachaças na Água Doce. Percebemos que era desnecessário oferecer tantos produtos porque as cachaças precisam ficar bem armazenadas e elas chegam de todos os lugares do país. É uma logística e tanto. Decidimos, então, que o melhor seria oferecer uma quantidade menor de opções, mas que estas fossem escolhidas com muito cuidado”, explica Golfeto. Esta escolha deu origem à lista que o empresário denominou de “As Melhores Cachaças do Brasil”. Delfino realiza também degustações periódicas de seus principais fornecedores e estes produtos podem entrar ou sair do cardápio de rótulos oferecidos pela Água Doce.
“Degustei todas as 208 cachaças para conseguir chegar a um bom número de rótulos aprovados. Eu ofereço aos produtores a minha opinião sobre a qualidade dos produtos que não entram para a lista também. Quanto mais cachaças de qualidade e dentro das normas e padrões legais, melhor para que este mercado se expanda sem perder o cuidado com as características do sabor”, garante o Embaixador. Neste ano, teremos 96 rótulos no cardápio.
Golfeto possui padrões técnicos e pessoais para classificar as cachaças. “A cachaça é um produto e um patrimônio brasileiro – apenas nós produzimos a verdadeira cachaça. Por isso, ela precisa ser feita de maneira artesanal, em alambique – e jamais com produtos químicos. Se a cachaça não é pura, de boa procedência e não está dentro de padrões técnicos de qualidade e envelhecimento (ou descanso), não pode ser considerada boa”, ensina Golfeto.
A ideia de reduzir o número de rótulos oferecido nos restaurantes Água Doce para valorizar as escolhidas visa, ainda, fomentar o hábito da degustação de cachaças diferentes, a partir da cobrança de um preço justo. “Acredito que é possível oferecer opções de cachaça de altíssima qualidade, harmonizando-as com pratos, sem para isso cobrar preços exorbitantes. É um modo de fazer o mercado se aquecer, de dar a devida visibilidade às cachaças de qualidade que produzimos de norte a sul do Brasil”, aponta o empresário.
Tábua para os sentidos e harmonização
Como forma de trazer ainda mais à vista as possibilidades de degustação e harmonização de cachaças, a franqueadora Água Doce criou uma tábua rústica especial, sobre a qual são servidas quatro doses da bebida – uma diferente da outra, mas todas harmonizando com o prato escolhido. Os garçons estão recebendo treinamento para poderem oferecer opções de acordo com a especificidade de sabor de cada prato. Por enquanto, a tábua está sendo testada apenas na unidade central da Água Doce, na cidade de Tupã (SP), para depois chegar a toda a rede de franquias.
“As Cachaças Brancas, que são neutras e descansadas, têm padrão muito suave. Elas harmonizam bem com Isca de Tilápia, Casquinha de Siri e Bolinho de Bacalhau. Já as
Cachaças de Carvalho, de cor amarelo leve, harmonizam com sabores mais acentuados, como o da Pururuca, Torresmo e Panceta. As Cachaças de Amburana, de cor amarelo forte, caem bem com Provolone, Bolinho de Carne de sol, Bolinho de Calabresa com Queijo e porção de Calabresa. Por fim, as Cachaças de Bálsamo, esverdeadas, são ideais para quem opta por Filé Água Doce de Mignon, Picanha na Chapa e Carnes Vermelhas”, indica o especialista.
Sobre a Água Doce
A rede Água Doce é composta por mais de 90 restaurantes presentes em nove estados e no Distrito Federal. Os clientes podem degustar delícias da culinária nacional, sempre servidas em fartas porções, acompanhadas pelo que há de melhor em cachaças e outras bebidas com ou sem álcool.
Onde tem Água Doce
Distrito Federal – Brasília
Mato Grosso – Sinop, Rondonópolis e Primavera do Leste
Mato Grosso do Sul – Campo Grande, Dourados e Naviraí
Minas Gerais –  Frutal, Poços de Caldas, Pouso Alegre, Uberlândia e Varginha
Paraná – Arapongas, Cianorte, Cornélio Procópio, Cascavel, Guarapuava, Maringá, Paranavaí, Toledo, Umuarama, Pato Branco
Rio Grande do Sul – Santa Maria e Novo Hamburgo
Roraima – Boa Vista
Santa Catarina – Chapecó, Criciúma, Jaraguá do Sul, Joinville, Rio do Sul, Blumenau
São Paulo – Capital – Moema
Grande São Paulo – Alphaville (duas casas), Cotia (Granja Vianna), Guarulhos, Mogi das Cruzes, Osasco, Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Suzano, Ribeirão Pires
Litoral de São Paulo – Caraguatatuba
Interior de São Paulo – Americana, Araçatuba, Araras, Avaré, Andradina, Araraquara, Assis, Barra Bonita, Barretos, Bauru, Bebedouro, Botucatu, Bragança Paulista, Campinas, Catanduva, Dracena, Guaratinguetá, Indaiatuba, Itapetininga, Itapeva, Jaboticabal, Jacareí, Jaú, Jundiaí, Lençóis Paulista, Marília, Matão, Mogi Mirim, Ourinhos, Piracicaba, Presidente Prudente, Ribeirão Preto (unidades Portugal e Independência), Rio Claro, S. Carlos, São João da Boa Vista, São José dos Campos (duas unidades), Sertãozinho, Sumaré, Tatuí, Tupã, Vinhedo e Votuporanga.

Colaboração: Em Pauta




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *